domingo, novembro 09, 2008

cookie wise

Não é que eu não seja patriota. Ou regionalista. À mim já não importa onde firmo meus pés e sim meu coração.

Não se pode dizer, tampouco, que perdi minhas raízes culturais. Minha mente sempre esteve no mundo inteiro.

Me acusar de revolucionária porque tive uma adolescência engajada e rebelde seria exagero. Cultivei minha covardia reacionária como todo bom cidadão democrata.

Supor que eu não saiba separar a arte da existência é falta de imaginação. Pois interior e exterior não são polarizados em minha alma.

E que a verdade seja dita: se me tivessem ensinado à pintar, ou tocar piano, não estaria escrevendo.

Não pense que desprezo o modo como superestima-se a sexualidade. É apenas uma questão de preferência o que me leva à querer maximizar o amor.

E se parece que não valorizo o compromisso, é porque estimo a intenção mais do que o comprometimento.

Descobri, na liberdade de partir, o permanecer justificado.

Na liberdade de agir, o ser autêntico .

that's the way it crumbles...

5 comentários:

Blog do Raima disse...

Não é bem assim mas é...
Ser cidadão do mundo se paga um preço tb!
Quando se é livre pode voar tão alto que se perde o FOLEGO!
Morei 4 anos em BSB... Amo essa cidade, e tinha perdido minhas raízes com NATAL me sentia um Ser Brasileiro, coisa que ainda sou, mas paguei um preço no meu regreço!
Quanto a ser Patriota isso eu sou e democrático tb ´refiro acreditar nas intituições e viver ... chega de movimento, apesar que sei e concordo com seus falores, chegou a hora de viver e não ter vergonha de fazer oq se quer e o que tem direiro!

Lisa disse...

nas palavras de Sartre: "o homem está condenado a ser livre", mesmo que não faça uso dessa liberdade...
Abraços,

lacmgusmao disse...

template bem legal.

posts meio aforísticos, meio lacônicos.

um blog estranho. gostei.

see ya.

Lisa disse...

Luiz,

O meu diretor favorito de cinema, Billy Wilder, ensinava que não se deve subestimar a capacidade do público, nem entregar tudo mastigado. De forma que as lacunas do indigitável são preenchidas com a conteúdo pessoal de quem por aqui se aventura à comentar. E as referências enigmáticas são iscas para capturar esses aventureiros.

grande abraço!

luizgusmao disse...

aprendeste bem a lição. mordi a isca. até mais, mocinha!