segunda-feira, outubro 06, 2008

Perfil

Gaúcha não praticante com residência fixa em Brasília há três anos, duas semanas, dois dias e tentando parar de contar.

Aproximando-se rapidamente da idade balzaquiana, seja lá o que isso queira dizer.

Tem por principal hábito a leitura inútil e excessiva de revistas, livros, blogs, legendas cinematográficas e entrelinhas humanas.

Sua principal orientação filosófica sempre foi o niilismo. Atualmente, porém, tem sido muito comum vê-la sofrendo crises de existencialismo extracontemporâneo.

As características mais evidentes no conjunto de sua irrelevante “obra”, são:

  • traços de uma visão biocentrista tímida;
  • críticas sarcásticas ao humanismo literário de fachada;
  • teorias anárquicas mal-dissimuladas;
  • vestígios fonográficos enigmáticos;
  • eu-lírico auto-censurado;
  • forma inapropriada;
  • conteúdo andrógino;
  • estilo forjado;
  • ironias desastradas; e
  • desambição fingida.

Na personalidade pode-se encontrar os mesmos aspectos supracitados - em ordem levemente diferente - e mais um punhado de particularidades que convém não citar para manter a tolerância textual.

Acredita que é escritora por natureza, mas programa sistemas computacionais por profissão.

Não é tão bonita quanto finge ser. Nem tão bem resolvida como parece.

Usa vermelho ou verde quando se sente bem. Quando escreve, bebe Earl Grey Tea ou Água Tônica.

Neste exato momento, está ouvindo a canção Loser do músico Beck enquanto tenta decidir entre atualizar seu blog ou estudar cálculo proposicional, durante o seu horário de almoço.

6 comentários:

-=Joe=- disse...

Trocando em miudos com uma ótica própria: Voce é BACANA. rs... bjs

Leonardo Larrossa disse...

cálculo proposicional? é de comer ou passar no cabelo? (pergunta de um pobre cientista político não-praticante... hehehe).

É melhor atualizar o blog. Bom para você e para os que lêem. :)

saudações.

8807066-13 disse...

adorei seu espaço... volterei com mais frequencia pra me inspirar... saudações!

Priscila Petrarca disse...

Gaúcha morando em Brasília? Somos duas! adorei o blog! beeijo.

Pedro disse...

há duas horas atrás estava super bem. minha vida deu um giro louco essa semana, e para melhor. Tenho uma mulher que me ama, tenho um novo e prospero emprego, uma familia estruturada, e tenho acordado sorrindo. mas acabei de assistir a um filme que me fez repensar tudo o que eu estou vivendo, tudo o que eu quero viver e não cosegui uma resposta se é isso mesmo que quero, e pra completar li o seu post Há saída para o existencialismo? Estou angustiado, e cada minuto que passa vêm uma nova pergunta sem resposta na minha cabeça. Adorei seu blog, a sua forma de colocar seu ponto de vista, e me senti mais leve, mais tranquilo em saber que a incompreensão pode ser compreendida no simples fato de escrever o que pensamos. Adorei. Um abraço e vibrações positivas.

Lisa disse...

pedro, não é justo você vir aqui falar de um filme capaz de balançar estruturas de um cidadão realizado e não indicar o título... rsrs
Obrigada pelo comentário e pelas vibrações. Duas coisas que sempre me fazem bem.
Um grande abraço e boa sorte na busca de respostas. Lembre-se que é importante saber qual é, de fato, a pergunta!