quinta-feira, dezembro 04, 2008

DEZEMBRO


NOTAS

DIA 4: A escala de entropia do meu quarto está alta¹, não encontro minhas coisas! Ainda hoje, quero iniciar a leitura de Emma, de Jane Austen. Estou anciosa, tem mais de 1 mês que comprei esse livro! Mas antes, preciso encontrá-lo no meio da bagunça... ;\

DIA 5: Percebi ontem, lendo Jane Austen, que existem diversos tipos de solidão: de sentimentos, de afeição, de amor, de companhias barulhentas, física, familiar. De tudo há solidão. Concluí facilmente que sofro de solidão intelectual.

DIA 6: Bom senso é uma condição insustentável. Não se pode confiar no dos outros. E nem no próprio.

DIA 7: Somos substância obstinada por cristalização: nos apegamos mais à um punhadinho de certezas que ao universo de possibilidades.

DIA 8: Encontrei um ponto comum em todas as pessoas que amo: elas não levam as adversidades tão à sério.

DIA 9: A impaciência não chega a ser uma qualidade favorável, mas é uma bela arma contra a apatia.

DIA 10: Segundo a imprensa da época, a última frase de Olavo Bilac, pouco antes de morrer, foi "Dêem-me Café! Quero Escrever!". Se eu tivesse adoecido e morrido esse ano, provavelmente teria isso em comum com o príncipe dos poetas.

DIA 11: Hoje, não me questione a razão, decici citar à mim mesma. Com toda redundância que esta frase implica. Eis aí um recorte do romance que escrevo:

"Não tenho destino, já nasci acaso. O futuro, no entanto, é sedutor: conquista o pensamento com conjeturas. Carrega nas pré-ocupações as horas destinadas à suavidade do dia. Preciso evitá-lo constantemente!
Talvez fosse bom me sujeitar ao entusiamo de uma paixão. Experimentar aquela sensação na qual agora importa mais que qualquer outra hora."

DIA 12: Essa serenidade exterior que manifesto, deve-se à agradável genética da família Emerich. Os Evaldt em nada são estáveis ou tranqüilos.

DIA 13: Logo que acordei, com o rosto ainda voltado para a parede, eu já sabia como seria o meu dia: completamente moldável!

DIA 14: O nome de uma pessoa possui todos os significados que atribuímos à ela. O simples fato de alguém o pronunciá-lo desperta em nós todo sentimento que lhe dedicamos.

DIA 15: Trata-se de uma infelicidade que as reservas indispensáveis à um espírito extremamente delicado confundam-se tão facilmente com indiferença.

DIA 16: Estou convencida de que qualquer pessoa revelará mais sobre ela própria ao falar de outras do que de si mesma. A tolerância e a consideração com as quais nos autodefinimos não é repartida com quase ninguém. E, por isso mesmo, é mais similar ao nosso caráter a forma como julgamos os outros. Já que, também, os julgamos por critérios nossos.

DIA 17: Dentre as coisas que desejo realizar no próximo ano, uma delas é encontrar o tal 'benefício da dúvida'.

DIA 18: Estou inteiramente envolvida pela Srta. Austen. Iniciei a leitura de Orgulho e Preconceito, cujo enredo foi escrito antes da autora completar 21 anos. E mal posso descrever o quanto me sinto surpresa e deslumbrada ao ter tal romance em mãos.

DIA 19: Sim, fazer apostas é uma maneira quase certa de arranjar frustrações. Porém, para aqueles cuja sensatez se pratica até mesmo no saber perder, ter bravura de coração para apostar apenas no que desejam intimamente obter já é uma grande recompensa por si só.

DIA 20: Não sei o nome da senhora que me atende no Sebinho², mas ela sabe o meu. Isso porquê, apesar de minhas visitas não durarem mais que o tempo de ela me entregar um volume e eu pagar no caixa, sempre deixo lá uma lista de encomendas que, pelo que entendi, dá à ela algum trabalho para conseguir. Hoje trouxe Razão e Sensibilidade, e deixei ela com a difícil tarefa de encontrar Mansfield Park, Abadia de Northanger e Persuasão. Sim! Todos de lady Austen.

DIA 21: As flores da serra só aparecem no verão.

DIA 22: Descobri que as melhores férias são aquelas em que se dorme pouco.

DIA 23: Conversa casual é o que eu chamo de "reafirmar as aparências". Felizmente, uma conversa deixa de ser casual em, no máximo, trinta minutos.

DIA 24: Não sei explicar, mas sinto como se tivesse passado a vida tentando inutilmente domar meu caráter. Tenho que aprender a desistir!

DIA 25: Exigir é o oposto de conquistar.

DIA 26: O que faço inconscientemente é o que mais me interessa.

DIA 27: A primeira música que ouvi do Bob Dylan foi Like a Rolling Stone e não me identifiquei nem um pouco com ela. Mas já fazem muitos anos desde então. Hoje, contudo, escolhi ela de trilha sonora: I'm feel just like a rolling stone.

DIA 28: Há quem suspeite de um significado de precisão nos célebres versos de Alberto Caeiro³. Mas eu nunca tive dúvidas, sou partidária do emprego verbal, designado pelo general Pompeu, e mencionado pelo poeta: "viver não é preciso". Para o homem que se destina com paixão à sua arte, viver é ato secundário.

DIA 29: Mas eu não desejo ser mais apaixonada pela arte que pela existência: preciso das duas em igual medida!

DIA 30: Há dois tipos de gente entediante no mundo: os outros e eu!

DIA 31: A grande vantagem no uso dos calendários é que eles constantemente nos lembram que a vida não precisa necesariamente continuar. Ela pode, numa determinada data ou circunstância, recomeçar!

UM FELIZ 2009 À TODOS QUE ACOMPANHAM O BLOG!


¹ teoria do caos
² o maior e melhor sebo de Brasília
³ gosto dessa identidade e por nada nesse mundo a confundiria com Fernando Pessoa.

10 comentários:

Lilian disse...

Não. Não gostei dessa agenda. Não estou presente. Odiei!

Lisa disse...

q lapso! ;|
mas EU e VOCÊ sabemos que é porque está subentendido que não vamos nos separar nenhum dia só, não é? NÃO É??
baranga do meu coração apertado de saudade!!! ;*

ElleN C. SimaS disse...

o/ hahaha claro que pode voltar ao bookaholic! :D Estou tendo um período com inspiração em baixa... mas isso passa rsrsrs


PS: Muito chique esse blog aqui, hein!

-=Joe=- disse...

Reservas indispensáveis, barreiras quase imperceptíveis que apresentam-se com o único objetivo de nos estimular a transpô-las, tanto as próprias como as de outrem.

Muito bom conhecer melhor teu dia a dia. Bjs

Lisa disse...

Joe: Dia-à-adia? pós aulas minha rotina é só ler e escrever. Aqui só há reflexão sem ação. rsrs

Jorge disse...

lisa, atualizei o quase morto blog,

Jorge disse...

brilhante esse seu post, Lisa, estou curioso sobre o livro..

Lisa disse...

Jorge! Por enquanto, Feliz Natal! Depois a gente poe o papo em dia! beijos!!!

Jorge disse...

posso dizer um clichê sobre a foto das moças acima??

Lisa disse...

Jorge, tenha certeza que eu, e nem minha querida amiga Lilian, ficaríamos ofendidas com um clichê precedido pela boa educação de suas maneiras! rsrs