quarta-feira, agosto 23, 2006

Os ecos de um sapo

Se possui alma um indivíduo, ela deve ser feita de lembranças. Recordações é o que somos, não o que fomos. O que fomos é passado. Memória não tem índice de consulta, mas devia ter. Tem critérios de fixação e não devia ter.
Sete anos eram, mais ou menos, minha idade acumulada quando aprendi a ler, recebi o privilégio de memorar para sempre este dia. Lembro da sala de aula, da lousa, da expectativa, das sílabas, da dedução:

S e A, SA
P e O, PO
SAPO!

E fêz-se a imagem.
Comprou-me um livro o pai que tenho com o dinheiro que no bolso tinha porque me deixou escolher, e eu escolhi aquele porque pensei que caro livros não deviam ser.
Exemplar ilustrado de uma coletânea infantil, meu primeiro livro não foi um clássico literário, era apenas uma boa e comovente narrativa feita para pequenos corações. Suas figuras eram expressivas e eu, uma menina de detalhes.
Seu final não se apresentava no ponto gramático nem em um clichê disneyworld. Terminava reticente como a vida, deixando um mundo de conjecturas para me ocupar.
E fêz-se a imaginação.
Ganhou palavras novas o mundo, diminuiu-se a hora de brincar.
Encheu-se os olhos paternos de maternal olhar.
Muito das recordações que sou são livros, e daquele olhar que, hoje, briga para enxergar.

Auf Deine schönen Augen
Hab ich ein ganzes Heer
Von ewigen Liedern gedichtet -
Mein Liebchen, was willst Du mehr?
Henrich Heine

2 comentários:

Gabriel disse...

Meu primeiro livro também não foi um clássico. "O Burrinho Verde" eu li sem saber ler, criando diferentes histórias inspiradas pelas ilustrações. Na verdade, era um plágio do Patinho Feio, um burrinho que por ser diferente era rejeitado e quando chegou ao circo passou a ser adorado por todos. Mas eu só fui descobrir isso depois, bem depois.

Anônimo disse...

Gabriel,

Onde posso encontrar esse livro? " O burrinho verde"?, minha mae falou que leu na infancia e que nunca esqueceu, ela tem 65a, ganhou esse livro da minha avó e eu queria presentea-la, no natal desse ano com esse livro. Se souber onde eu encontro me avise que vou atrás.
Abraço
Edgard
edgardff@terra.com.br